"You don't have to worry...


You don't have to worry
Because we're still the same band
You don't have to worry
You don't have to worry
You don't"

Assim começa uma nova fase do grupo Panic At The Disco, a banda realmente permanece a mesma. Bem, faltou uma exclamação e algo que ficou para trás na época do A Fever A Fever You Can't Sweat Out.

A 1° faixa que ouvi deles foi Time To Dance, talvez a mais eletrônica, que me conquistou logo de vez. Aquele cd gravado em 2005, porém, não esperava um grande sucesso que resultou em milhões de cópias vendidas e uma fama incrível para o grupo. Um cd que variava entre as noites barulhentas modernas e os elegantes cabarés.

Estávamos todos acostumados com isso quando eles resolveram lançar Pretty Odd, o que já estava sendo esperado por muitos. A mudança drástica de ritmos para alguns se caracterizou como um amadurecimento para o grupo, esse por sua vez teve muita coragem arriscando todo um contigente de fans. Influenciados por Beatles de acordo com eles mesmos e com as mais especializados autores do assunto (algo meio que normal, já que Beatles praticamente criou o rock).

Saindo desse contexto o cd me decepcionou um pouco, onde está os ritmos agitados e a criatividade nos nomes das faixas? Entretanto pude notar boas letras e um som, que apesar de diferente, possui uma ótima qualidade.

Nine In The Afternoon, Middle Of Summer, Pas De Cheval e Mad As Rabbits se tornaram minhas preferidas até o momento. Ainda devo me familiarizar com o country presente de forma explicita em Folkin Around e com os arranjos mais primitivos que isolaram qualquer resquício eletrônico.

Assim o disco possui grandes chances de atrair uma nova geração de fans e participar de uma evolução musical dos antigos (afinal já são três anos e muitos dos antigos fans conheceram várias coisas novas). Recomendo para todos que desejam algo pacifico, inovador e alegre.

1 impressions:

Marthayza disse...

Ai ai... Eu também fiquei triste com esse cd. Parece que o PATD quis ser o novo Strokes: primeiro cd incrível e de sonoridade única e o segundo bem blasé, com um som que já foi feito cento e vinte nove mil vezes... Uma pena! :(

 
©2009 lasting first impression |